Loading...
NOSSA PROPOSTA

Este blog é uma realização de jovens jornalistas da Universidade Salgado de Oliveira, em Niterói, trazendo o que acontece na cidade e adjacências nas áreas de educação, moda, cultura, lazer, esportes, política, economia, responsabilidade social e temas da atualidade, destacando o jornalismo comunitário.

Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de maio de 2011

COMUNIDADE: CHUVA FORTE NÃO AFETA SOUZA SOARES, MAS DEIXA MORADORES EM ALERTA

Renato Landim


A forte chuva forte da semana passada voltou a causar preocupação nos moradores de Niterói, ainda traumatizados pelo deslizamento, há um ano, do Morro do Bumba, no qual morreram cerca de 50 pessoas e até hoje existem desabrigados. No entanto, na comunidade Souza Soares, em Santa Rosa, o temporal da última segunda-feira não causou transtornos significativos. Moradores e comerciantes da região contaram que as ruas não ficaram alagadas e nem houve falta de energia elétrica. Entretanto, revelaram apreensão quanto às áreas vizinhas e o perigo de novos deslizamentos de terra.

A aposentada Leda Correa, de 76 anos, disse que, dessa vez, a chuva não trouxe problemas. “O trânsito ficou complicado, mas, graças a Deus, não aconteceu o pior”, revelou ela, aproveitando para pedir às autoridades que limpem as ruas com regularidade como forma de evitar que os bueiros fiquem entupidos. Opinião semelhante teve Leandro Macedo, de 35 anos, nascido e criado na Souza Soares. Segundo ele, como a geografia do morro não é inclinada demais, os riscos de deslizamentos de pedras são pequenos, embora, há dois anos, tenha ocorrido um deslocamento, sem vítimas. O morador também reclama da Prefeitura por não realizar obras de saneamento básico na comunidade, apontado como principal problema na área. Sobre o assunto, o morador Augusto César, de 43 anos, acrescentou que, na ocasião, a Defesa Civil comprovou que não havia riscos de desmoronamento. Ex- integrante da Associação de Moradores da Souza Soares, César endossou o coro em prol da construção de uma rede de esgoto, pois corre a céu aberto, de acordo com ele.

O comércio nas redondezas da Souza Soares também não chegou a ser afetado diretamente em consequência da chuva. A balconista Márcia Santos, funcionária de uma loja de ferragens, na Rua Mário Viana, também confirmou a informação que naquela via não aconteceram maiores transtornos. Ela, entretanto, alertou para os perigos iminentes na comunidade da Viradouro. “Acho que em breve vocês terão notícias dali, e ruins”, disse, referindo-se à área vizinha e as pedras que podem rolar, causando nova tragédia.





Nenhum comentário:

Postar um comentário